Chapada dos Veadeiros Santa Bárbara

O encanto das cachoeiras Santa Bárbara, Capivara e Candaru, na Chapada dos Veadeiros

Um dos lugares mais mágicos da Chapada dos Veadeiros é a cachoeira Santa Bárbara. Ela encanta porque é praticamente escondida na mata e tem aquela água cristalina verde esmeralda de impressionar. É considerada uma das cachoeiras mais bonitas (e fotogênicas) do Brasil, e me deixou apaixonada e com vontade de voltar para a chapada só por mais uma horinha lá.

Muita gente acha que a Santa Bárbara fica na cidade de Cavalcante, mas, na verdade, ela fica a 26km de lá, na Comunidade do Engenho II (Quilombo Kalunga). É por lá também que ficam as cachoeiras Capivara e Candaru, duas outras maravilhas que merecem ser exploradas e podem ser feitas num mesmo dia. 




Estrada Cavalcante, Goiás
A estrada de terra que leva até a cidade de Cavalcante, em Goiás

Dicas para ir  até Cavalvante (GO)

Para chegar até Cavalcante, em Goiás, a estrada é de terra e, numa parte, é preciso atravessar um rio. São 120 km de Alto Paraíso de Goiás e 150km da Vila de São Jorge, mas o sacrifício vale a pena! Saia cedo se estiver hospedado nessas cidades porque a visitação à cachoeira é limitada. Saímos da pousada em Alto Paraíso pouco mais de 7h, e chegamos lá às 9h30 no Centro de Atendimento ao Turista onde encontramos a guia. Vale lembrar que o pagamento é feito em dinheiro, e para chegar lá faça o download do mapa no Google Maps porque celular não pega.

Como alugamos um Jeep Renegade, a estrada de terra não foi um problema e nem passar pelas pontes pequenas e pelo rio. Se você for alugar um carro para passear pela Chapada, a dica é optar por um mais potente, mas há quem faça tudo com carro 1.0 sem nenhum problema, apenas demorando mais tempo. Nosso carro só virou um problemão quando pegamos uma serrinha para ir até a Cachoeira Candaru, arriscando num local que só deve ser feito de 4X4.

Vai para a Chapada dos Veadeiros? Reserve seu hotel e garanta o menor preço

Visitas devem ser feitas com guias

Para a visitação às cachoeiras da região de é preciso estar acompanhado de condutores de visitantes, que pode ser contratado em Cavalcante  no Centro de Atendimento ao Turista (CAT), ou na Comunidade do Engenho II (Associação Kalunga).

Mart foi nossa guia pelas cachoeiras do Quilombo Kalunga

A entrada da cachoeira custa R$ 20, e o valor é pago na Associação. Os guias cobram de R$ 70 a R$ 100 para levar até sete pessoas para a Santa Bárbara. Eu estava com uma amiga, e nós nos juntamos a outras cinco pessoas que conhecemos por lá. Na Chapada você provavelmente vai cruzar com as mesmas pessoas diariamente e, claro, fazer amizades (uma das melhores coisas de viajar, né?).

Associação Kalunga
Os guias e os turistas no Centro de Atendimento da Comunidade Engenho II

Por lá há também uma loja com produtos quilombolas e, ainda, barracas que vendem água, refrigerante e lanches. Se você quiser, pode reservar o almoço num restaurante da região. Nós fizemos uma pausa logo depois de conhecer Santa Bárbara no Restaurante Recanto da Mata. Vale lembrar que é fundamental levar água, lanches, chinelo, repelente e filtro solar.




Duas meninas do nosso grupo combinaram o passeio com uma guia da comunidade quilombola, e ela foi de carro com a gente para as três cachoeiras (Santa Bárbara, Capivara e Candaru) e no fim do dia deixamos ela em casa. Ela nos cobrou R$ 175, ou seja, R$ 25 para cada um. Além disso, pagamos a entrada das cachoeiras: R$ 20 Santa Bárbara e Capivara e R$ 10 para Candaru.

 

Produtos vendidos na loja que fica na Associação do Quilombo Kalunga

 

Veja como montar seu roteiro para a Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Santa Bárbara

Chegamos lá na entrada da Cachoeira Santa Bárbara por volta das 10h da manhã, e ficamos esperando cerca de uma hora até que fossemos liberados para entrar. Deixamos o carro no estacionamento e de lá seguimos para a trilha. O trajeto não é difícil, mas a pessoa aqui estava com um tênis que descolou todo! Ou seja, foi um perrengue pra ir e, na volta, voltei de havaianas mesmo.

Cachoeira Santa Bárbara
Cachoeira Santa Bárbara: um paraíso na Chapada dos Veadeiros

A caminhada dura 30 minutos, e apenas em alguns momentos eu senti um pouco mais de dificuldade porque a gente tinha que se segurar em galhos. A primeira parada é em Santa Barbarinha, e a cor da água já vai te conquistar, mas é chegar na Cachoeira Santa Bárbara para se apaixonar.

Santa Barbarinha, Chapada dos Veadeiros

A queda d’água é de 35 metros, mas o que chama mais atenção é mesmo o poço. Uma delicia nadar na água transparente! Nossa guia, a Marta, levou equipamento para eventuais acidentes, como cordas, por exemplo. E, de quebra, flutuadores que eu, claro, peguei um emprestado para ficar praticamente numa piscina!! Eu amo cachoeira, mas nadar sem saber a profundidade do lugar me dá um certo nervoso! Numa hora dá pé na outra você nem sente nada…

A gente só pode ficar 1 hora por lá, infelizmente. A trilha de ida é diferente da volta que é bem mais fácil. Impossível sair de lá sem se apaixonar por esse lugar. Dá vontade de voltar de novo para a Chapada dos Veadeiros só por mais uma horinha nessa água renovadora!

 

Cachoeira Santa Bárbara

Cachoeira Santa Barbara flutuador
De boas na cachoeira Santa Bárbara com o flutuador

 

Como visitar a Cachoeira Capivara

A Capivara é uma cachoeira com uma trilha de nível difícil porque a vegetação é densa, e você precisa descer por um monte de pedras até chegar a piscina. Eu acabei fazendo só a primeira parte, e parei no começo numa piscina natural que parecia de parque da Disney. O resto do grupo fez todo o trajeto e amou a cachoeira! Ou seja, vale a pena…

Cachoeira Capivara
A primeira piscina da Cachoeira Capivara: trilha difícil

Como visitar a cachoeira Candaru

A Candaru foi a maior cachoeira mais impressionante que vi na região, com uma imponente queda de 70 metros. A trilha é de 4km íngremes passando por plantações, mas ela fica mais fácil se você fizer parte do trajeto de 4X4. O seu João leva na caminhonete cobrando R$ 10 por pessoa, mas quando chegamos lá não conseguimos encontrá-lo porque passava das 17h. E, caímos na besteira de descer a trilha com nosso Jeep porque outros motoristas falaram que a estrada estava boa e dava para ir de carro.

Cachoeira Candaru
Cachoeira Candaru: queda de 70 metros impressiona

Cachoeira Candaru Dicas

 

A ida foi tensa, mas chegamos. Na volta, o carro teve muita dificuldade de subir e, depois de muito atolar e deslizar, o bichinho subiu. Mas, segundo seu João (que encontramos no meio da trilha), o carro só sobe direito se for 4X4. Nossas amigas foram com um voyage 1.4 e conseguiram subir, mas a Fran (motorista show) mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, e está super acostumada a dirigir em fazendas e estradas de terra também.

Se você for mais urbano, vá de 4X4, a pé ou com o seu João. A ideia de ficar atolada no meio do mato e sem sinal de celular foi bem assustadora! A tensão foi tanta que nem temos foto desses momentos, só da nossa felicidade no Mirante da Nova Aurora.

 

Mirante da Aurora Chapada
Nosso grupo feliz no Mirante depois do susto na Cachoeira Candaru

Turismo em terras quilombolas

O mais incrível de visitar essa região do Quilombo Kalunga é pensar em toda a história por trás de cada caminho aberto na mata. Os quilombos foram criados por pessoas corajosas que fugiram da escravidão e aprenderam a sobreviver em condições adversas nas matas do nosso país.  Muitas das trilhas que percorremos na região serviam de rota de fuga. O sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga merece todo nosso respeito, admiração e, claro, reflexão sobre a história do Brasil.

 




Booking.com

 

Leia também:

2 comentários sobre “O encanto das cachoeiras Santa Bárbara, Capivara e Candaru, na Chapada dos Veadeiros

Deixe uma resposta