Viaje para se deslumbrar e se apaixonar

Depois de algumas viagens a coisa toda pode parecer automática: passaporte, check-in, segurança, portões de embarque e voos. Longe de parecer a viajante esnobe que está “reclamando de barriga cheia”, reconheço que a coisa toda vai esfriando quando as cidades ficam mais familiares e as viagens mais constantes. É como quem mora no Rio e até esquece de espiar o Cristo Redentor da janela, ou quem passa apressado pela Avenida Paulista e nem repara a grandeza do Masp.

O ônibus que você já pegou, o aeroporto que já conheceu ou aquele restaurante que você tem certeza que é bom. Tudo é como um relacionamento amoroso onde você está confortavelmente instalado há anos. Te faz feliz? Faz! Pode ser melhor?  Pode!

Porque, vamos lá, uma das maiores graças de viajar é se deslumbrar, se encantar e se apaixonar. E, como no amor, o objetivo é fazer os olhos brilharem com a paisagem, a alma se surpreender com novos caminhos e o sentidos se aguçarem com cheiros e sabores diferentes.

Sabe aquela coisa de uma vez por ano visite um lugar novo? Então, o sentimento é basicamente esse, mas sem, necessariamente, ter que correr para achar um destino novo. Basta uma praia desconhecida, um hotel diferente ou um caminho alternativo. Ou, quem sabe, uma outra companhia para a mesma viagem. Dê uma chance ao seu olhar. Respire fundo, aperte os cintos e aprecie a vista. O deslumbramento é fascinante. 

A vida é muito curta e, sim, o mundo é muito grande. Sabemos todos disso. Não tenho pressa de conhecer tudo – não faço competição de viagens/ países/ cidades. E para não perder o brilho nos meus olhos viajantes, me permito ter um encantamento infantil com o novo, mesmo que num lugar que já conheço. Recomendo.  É como um descobridor de algum século passado ao avistar um novo continente ou como um jovem internauta que, finalmente, achou o que procurava navegando na web.

E, deixa eu te contar, é muito bom se deslumbrar com o novo ou com o que você já conhece! Siga seu coração na hora de escolher os destinos e, principalmente, siga se deslumbrando com todas as paisagens que cruzam o seu caminho.

 

* A foto do post é da estátua de Eros da fonte de Piccadilly Circus, em Londres, e foi tirada em agosto de 2017 na minha sexta viagem à cidade. 

Deixe uma resposta