Porto de Marselha França

Marselha: roteiro e dicas para conhecer a segunda maior cidade de França

Marseille (ou Marselha em Português) pode até não ser o destino de viagem mais óbvio quando pensamos em visitar a França, mas a segunda maior cidade do país é apaixonante. O destino mais confortável das minhas idas a França sempre foi Paris, mas, este ano, dediquei cinco dias para escapar e conhecer Marseille em busca de um alívio no verão francês. Surpreendentemente, a cidade é linda e encantadora.

Há muitas coisa para fazer por lá, e as beleza naturais roubam a cena. O Parque Nacional dos Calanques, criado oficialmente em 18 de agosto de 2012, é o ponto alto da viagem. Calanque é uma estrutura no Mar Mediterrâneo que forma praias maravilhosas. Há alguns mais famosos e outros bem primitivos ainda. Em Marseille você pode fazer trilhas ou o passeio de barco para conhecê-lo. E, por favor, não vá embora sem passar por um calanque.  Em cinco dias completos é possível conhecer tudo, e é  um destino sensacional para o verão europeu.

 

Dicas de viagem Marselha França
Chateau D’If: uma das atrações de Marselha, na França

A primeira coisa que é preciso entender é que Marseille não é Paris. Ou seja, esqueça todos os clichês parisienses. A cidade é vibrante como as outras banhadas pelo Mar Mediterrâneo. A agitação me lembrou um pouco Barcelona, por exemplo. Lá tem gente de todo mundo: árabes, africanos e europeus. Foi nesse verão que tive uma experiência diferente de nadar de biquíni ao lado de alguém de burkini e, sim, sem que ninguém se sentisse constrangido. Ver uma pessoa de burka e outra de topless na mesma praia é uma maneira de entender que o mundo precisa mais de compreensão.

 

Como chegar a Marselha vindo de Paris?

Você pode chegar a Marseille de trem ou de avião a partir de Paris. Fomos de avião, via Airfrance, porque a passagem de avião estava mais barata que o trem. Ou seja, vale fazer essa pesquisa antes. A viagem de TGV Paris-Marseille demora 3h15 e o voo demora 1h15, mas você deve levar em conta que o avião tem todos aqueles procedimentos de revista, você precisa chegar mais cedo e no avião você paga pela mala (25 euros). O trem sai da Gare Lyon, em Paris, e chega na Gare St Charles, em Marseille. Da Gare St Charles você pode pegar o metrô e ir ao hotel com tranquilidade.

 

Onibus Marselha St Charles

Aeroporto Marselha Provence
Os tíquete do ônibus do aeroporto e do Metrô

 

Para quem chega de avião – como eu – esqueça táxis ou uber que são caríssimos. Do lado de fora do Aeroporto de Marseille-Provence há um ônibus que leva até o centro da cidade. O chamado Navette Marseille sai a cada 15 minutos, todos os dias 24h por dia. Ou seja, não tem porque gastar uma fortuna de táxi. O bilhete custa a partir de 8,30 euros (tíquete simples) e 9,20 euros o passe cim direito ao transporte público de Marseille (metrô, ônibus e tram). Marseille tem apenas duas linhas de metrô bem pequenas, os ônibus são ótimos e há também o trem elétrico.

Fort Saint-Jean na entrada de Marselha
Fort Saint-Jean na entrada de Marselha e a lindeza do Mediterrâneo

Como andar por Marselha?

Andar pela cidade é muito tranquilo e a gente fica até bem tarde na rua. Basicamente, o Porto Velho (Viex Port) será seu guia. Era a partir de lá que começávamos a jornada diária porque é de lá que saem os barcos de passeio. A principal rua da cidade, onde há o comércio e restaurantes é a La Canebière. É lá que fica o escritório de turismo onde você pode pegar mapihas de tudo. Minha sugestão é passar lá logo após a chegada para se situar.

Veja aqui um mapa da cidade para ter uma ideia de como é Marselha

Onde se hospedar em Marselha?

Há muitas opções de acomodação para todos os bolsos na cidade. Hotéis de redes conhecidos como Ibis, Holiday Inn, Sofitel e Radisson têm quartos aconchegantes e bem perto de áreas bacanas como o bairro de La Panier, por exemplo. O ideal é ficar perto do Porto Velho (Vieux Port) porque você estará a poucos metros das atrações turísticas e terá agitação à noite.

Como decidi a viagem em cima da hora e estava buscando algo bom e barato, fiquei no Montempô Apparthôtel Marseille Centre Euromed. A vizinhança não era das mais bacanas porque é um bairro mais de estudantes, mas ficava em frente ao metrô Nacional e a uns 10 minutos do porto. A diária custa cerca de R$ 190 e o apartamento tem uma cozinha pequena com frigobar e fogão. Ou seja, a gente ainda economizou com alimentação porque a gente comprava coisas no mercado para os lanchinhos.

 




Booking.com


Roteiro de cinco dias em Marselha

Quando chegamos lá – fui com uma amiga – o nosso roteiro não estava fechado porque muitas das opções dependiam do clima e de ingressos que só poderíamos comprar lá. Tínhamos cinco dias completos na cidade e três coisas eram prioridade pra gente: os calaques, o Chateau D’If (esse lindão da foto abaixo) e o Musée des civilisations de l’Europe et de la Méditerranée, o famoso Mucem.

Chateau Díf Marselle

 

1º dia: Chegada em Marselha pela manhã, ida ao hotel para deixar as malas e, depois, ida ao Centro de Turismo de Marseille para comprar o city pass. Terminamos o dia com o pôr do sol na Plage du Prado.

2º dia: Passeio para o Château D’if (confira as dicas aqui) e Ilhas Frioul

3º dia: City tour pela cidade + catedral de Notre-Dame de la Garde + fábrica de sabão de Marseille

4º dia: Mucem, Fort Saint-Jean e passeio de barco pelos calanques

5º dia: Plage des catalans + lhas Frioul pela segunda vez

6º dia: Volta para Paris pela manhã

 

Dicas rápidas para quem vai conhecer Marselha

  • Se for visitar os calanques compre a sapatilha para andar nas pedras sem machucar o pé (Vende da Decathlon lá)
  • Faça como os franceses e leve lanchinhos para todo o canto, principalmente, para os calanques onde não há nada sendo vendido.
  • Use roupas confortáveis, beba água e passe protetor solar
  • Compre o passe do metrô/ ônibus e economize na passagem
  • Se quiser visitar o estádio Velódrome, do Olympique de Marseille, compre o ingresso com antecedência
  • Na alta temporada os passeios ficam lotados e a visita aos calanques é limitada a 50 pessoas por barco! Acorde cedo e vá a bilheteria no Vieux Port garantir o seu! E, claro, faça o passeio que dá direito ao banho de mar.
  • Tire dois dias para conhecer as Ilhas Frioul

 

 

8 comentários sobre “Marselha: roteiro e dicas para conhecer a segunda maior cidade de França

  1. Marselha é uma cidade demasiado neglicenciada, uma vez que tem imensas coisas interessantes para ver. É uma das minhas favoritas em França e uma bela ajuda para “entender” o país e o fluxo migratório.

  2. Fique agora aqui morrendo de vontade. Sabes que chegamos a dormir em Marselha, mas só dormir, e partimos cedo no outro dia. Como somente entramos de carro pela cidade até o hotel que ficava perto da entrada, a decepção foi geral – cidade feia e seja. Mas veja só, lendo o teu post percebo que tem muita coisa linda e legal a se fazer por lá. Muito bom saber.

  3. Adorei este roteiro. Marselha estava em meu roteiro quando morei em Genova. Acabei mudando de ideia e decidi ir para a Toscana, mas quero muito conhece-la..
    Gostei muito das dicas. Anotado!

  4. europa no verao n da mais meodeos quase morri esse ano aheuahe acho q farei o contrario da galera, vou para as montanhas no verao e no outono para as praias aheua mas enfim, marselha eh uma cidade que quero muito conhecer, tem tanta coisa linda pra fazer! achei legal a dica de comprar sapatilha na decathlon, eu sofri no caribe pq nao tinha uma dessa, as pedras deixam tudo mais perigoso (no caribe eram ouricos mas tudo bem)

Deixe uma resposta