Belo Horizonte Minas Gerais viagem dica

Como conhecer e o que fazer em Belo Horizonte

É sempre bom viajar para lugares que te fazem se sentir bem e praticamente te abraçam. E Belo Horizonte, em Minas Gerais, costuma ser assim. Os botecos, as praças, os parques e os museus são um convite para voltar sempre. É um lugar simpático e um pouco distante daquele drama de cidade grande que o Rio e São Paulo oferecem. As passagens aéreas não são tão caras, há muitas promoções, e vale muito passar um fim de semana ou um feriado prolongado na cidade.

Os mineiros costumam ser muito legais com os visitantes dando esse clima acolhedor, mas não acredite quando disserem que algo é bem pertinho  naquele papo de Ändando uns cinco minutinhos você chega lá”. Geralmente o lugar é mais distante que isso… A cidade é cheia de ladeiras, mas, ainda assim, andar é sempre uma boa pedida, exceto pela região do Centro onde eu já não me sinto segura.  Uso ônibus, táxi, uber e cabify com facilidade por lá.

Onde se hospedar?

O bairro boêmio é a Savassi. Por lá, uma região legal de se hospedar é pertinho da Praça da Liberdade onde há vários hotéis bacanas e alguns econômicos como o Ibis da Liberdade. Você pode fazer os passeios sem gastar muito com deslocamento. Já me hospedei mais de três vezes nesse Ibis, fiquei também no Ouro Minas e, mais recentemente, no Mercure Lourdes no bairro de mesmo nome (durante uma press trip para outro blog).

O Ouro Minas era o único hotel cinco estrelas da cidade até a Copa 2014 quando a rede hoteleira se modernizou, e tem uma boa estrutura, mas não compensa o investimento porque a localização não é legal para quem não quer ficar refém de carro. Só a título de curiosidade, Ronaldinho Gaúcho “morou” no Ouro Minas quando jogou no Atlético Mineiro. Já o bairro de Lourdes é de classe média-alta e tem bons restaurantes e bares. Então, também pode ser uma boa opção de hospedagem.



Booking.com

Como sair do aeroporto de Confins para Belo Horizonte?

A grande pegadinha de Beagá é que o aeroporto internacional Tancredo Neves fica em outra cidade, no município de Confins. E, por isso, a viagem pode ficar bem mais salgada. Um táxi do aeroporto até BH pode sair por mais de R$ 140 e um Uber ou Cabify por mais de R$ 80. Mas tem uma saída mais tranquila: pegue o ônibus conexão aeroporto (veja os horários) executivo.

Ele custa R$ 29,35 e deixa no terminal no bairro de Lourdes. Outra opção ainda mais barata é pegar o conexão aeroporto até a rodoviária, por R$ 13 e, de lá, pegar um táxi no ponto que fica no desembarque. O guichê do ônibus é logo no desembarque, e a viagem do aeroporto de Confins para BH demora cerca de 1h. Ou seja, planeje os voos de ida e volta levando em conta esse trajeto.

O que fazer numa viagem a BH?

– Botecos, botecos e mais botecos

O que não falta é boteco legal em BH e, exatamente por isso, a cidade é considerada a capital nacional dos botecos. Mas por lá nada de pé de chinelo…o clima é mais arrumadinho, mesmo nos lugares mais “pé-sujo”, ok?. Gosto do Boteco Redentor, do Stad Jever, da Mercearia 130, da Choperia Pinguim e do Rei do Pastel (que funciona 24h).

– Conhecer a Praça da Liberdade e seu circuito cultural

Há vários museus ao redor da Praça, e ela costuma ficar cheia nos fins de semana e fins de tarde. Desde 2010, há o circuito mineiro com 15 atrações culturais na região (espia aqui a programação). São indicações do que fazer em volta da praça.

O Memorial Minas Gerais, da Vale, é legal e gratuito. A sala da Inconfidência Mineira é maravilhosa para entender mais da história do Brasil. Para quem gosta de museu interativo, esse é o lugar para visitar sem dúvidas. Repare também no Edifício Niemeyer, no Palácio Liberdade, no Museu de Minas e no CCBB.

O charme da Praça da Liberdade, em BH
Edifício Niemeyer
O edifício Niemeyer em BH
memorial-minas-diana-viaja
Memorial Minas Gerais

– Lagoa da Pampulha e a igrejinha de São Francisco de Assis

Esse é o maior cartão postal de BH e, claro, merece uma visita. A igreja projetada por Oscar Niemeyer quando JK era o prefeito da cidade é bem pequena, mas lembre-se de visitá-la no interior também. De lá é bacana reparar o Estádio do Mineirão no alto, as pessoas curtindo o espaço público e, se você der sorte, aproveitar as barraquinhas de quitutes que ficam lá pertinho.

A Igreja de São Francisco de Assis
O Mineirão e a Pampulha

– Mirante do Mangabeiras

Um lugar que eu tinha muita expectativa em conhecer era o mirante do Mangabeiras, mas acabei me decepcionando um pouco quando estive lá no início do ano. Do parque você consegue ver toda a cidade e a Serra do Curral, mas não é algo de tirar o fôlego como eu imagina. Vale lembrar que o parque ficou fechado por quatro meses por causa da febre amarela, voltando a reabrir neste mês de junho.

A subida até o Mangabeiras não é fácil. Fomos de carro e fiquei impressionada mesmo foi com o luxo das casas da região.

Mirante do Mangabeiras

Mercado Central

Gosta de queijo, cerveja, cachaças e doces? Então a parada obrigatória é o Mercado Central onde sugiro beber uma cerveja local como Wals ou Backer e, ainda, comer um quitute como o pastel de angu. Dá para comprar também lembrancinhas para a família. Pesquise bem para comprar queijo porque os preços variam bastante e, claro, prove!

Delícias mineiras no Mercado Central
O Mercado de BH vende de tudo

Ateliê Wäls (diariamente) ou Fábrica da Wäls (sábados)

Amo cerveja e, em BH, descobri a Wäls que, atualmente, é um das cervejarias mais premiadas do país. As visitas à fábrica ocorrem aos sábados, das 11h às 17h. O endereço é rua Padre Leopoldo Mertens, 1460 São Francisco (região da Pampulha). O novo endereço deles é o Ateliê Wäls (Rua Gabriela de Melo, 566, Olhos D’Água), uma mistura de fábrica de cerveja envelhecida em barris e restaurante, com cervejas artesanais custando a partir de R$ 8,90. Quem não tiver tempo para nenhum dos dois programas pode ir no Wäls Gastropub (Rua Levindo Lopes, 358 – Funcionários).

A fábrica da Wals em BH abre aos sábados

– Tire um dia para visitar o Instituto Inhotim

Um dos museus a céu aberto mais impressionantes do mundo fica aqui no Brasil!! E em Brumadinho, uma cidade pequena, pertinho de BH. Então, aproveite a visita e estique o passeio até lá. O lugar é impressionante até para quem não gosta (ou não entende) de arte porque além de museu é também um jardim botânico e um parque lindíssimo. Já escrevi  um roteiro de como visitar Inhotim num dia, e dicas para aproveitar bem o passeio.

Helio Oiticica Inhotim
O Instituto Inhotim fica em Brumadinho

Leia também:

Dicas de viagem pelo Brasil

Curitiba: dicas de viagem, o que fazer e onde se hospedar

Foz do Iguaçu: dicas do que fazer e onde se hospedar

Eataly, em São Paulo, é o paraíso gastrônomico que você precisa conhecer

3 comentários sobre “Como conhecer e o que fazer em Belo Horizonte

Deixe uma resposta