Buenos Aires dica viagem, Buenos Aires passagem

Buenos Aires: dicas de viagem e roteiro para cinco dias na cidade

Depois de oito anos finalmente voltei a Buenos Aires, na Argentina. Confesso que esse blog acabou me motivando a fazer essa viagem, afinal essa é uma cidade que milhares de brasileiros visitam a cada ano, e a primeira opção de viagem internacional de muita gente.  Quis voltar para redescobrir a cidade que eu gostei tanto de conhecer e escrever tudo por aqui.

A viagem para Buenos Aires, lá em 2008, marcou a primeira vez que eu fiquei num hostel. E foi uma experiência bem bacana porque conheci muita gente legal. De lá parti para Bariloche, onde conheci amigos que tenho até hoje. Dessa vez eu fui sozinha e fiquei no mesmo lugar, o Milhouse Hostel (lei o post sobre ele aqui), e também fiz novos amigos e me diverti como há 8 anos. O Milhouse é um hostel festeiro como nunca vi, e é impossível sair de lá sem novos amigos.

Buenos Aires dica viagem
O Obelisco na Av. 9 de Julio

Buenos Aires é uma cidade que te permite andar sem medo de ser feliz. Por isso, gosto de ficar pelo centrão e ir andando por tudo. A cidade tem um trânsito pesado, especialmente quando há manifestações. Então, teve dia que eu andei de Puerto Madero até o albergue, uma distância de 2 km. Há muito o que fazer e os bairros são bem agradáveis. Quem vai com a família e procura sossego pode se hospedar em bairros mais bacanas como Palermo.

Casa Rosada em Buenos Aires
A Casa Rosada em Buenos Aires

Como ir do aeroporto de Buenos Aires para a cidade?

Buenos Aires tem dois aeroportos: Ezeiza e Aeroparque. Em ambos os casos a melhor opção é procurar pelo translado na empresa Manuel Tienda León. É confortável, seguro e mais barato. Assim que você desembarcar verá o grande guichê da empresa. Há a opção de translado até o terminal deles Puerto Madero onde você pode pegar um táxi ou seguir direto para o hotel.

De Ezeiza até o terminal custa 190 pesos (R$ 39), mas até o albergue paguei 240 pesos (R$ 50). Esse preço é fixo, independente de onde fica o hotel. Do Aeroparque até o terminal o valor é 85 pesos (R$ 17).

Como andar por Buenos Aires?

A cidade é cortada por uma grande avenida, a Avenida 9 de Julio (onde fica o Obelisco). São 48 bairros, mas basicamente os turistas visitam Palermo, Recoleta. La Boca, Retiro, San Telmo e Puerto Madero. O hostel que eu fiquei, perto da 9 de Julio fica em Montserrat. Outra avenida importante da cidade é a Avenida de Mayo onde fica a Casa Rosada. Então se você gosta de andar pode se hospedar perto dessas avenidas e bater perna.

As opções de transporte são boas: metrô, ônibus, táxi e uber. Andei de tudo, mas preferi o Uber que era mais rápido e barato. Para usar o metrô e o ônibus você precisa de um cartão especial, o Sube, como o nosso RioCard aqui do Rio. E não tem a opção de pagar direto ao motorista. Ou seja, você precisa comprar o cartão num Kiosko (quiosques e lojinhas espalhados pela cidade) ou no metrô. Custa 25 pesos* (R$ 5) e vem com duas passagens.

Depois disso você recarrega como valor desejado no metrô ou nos Kioskos mesmo. O bom é que o cartão Sube permite que você use mesmo quando não tem carga. Ele fica com o valor negativo até que trava e você precisa recarregar. Cada passagem de ônibus custa 6 pesos (R$ 1,26) e o metrô 7,5 pesos (R$ 1,58).

Sube Buenos Aires, Metrô Buenos Aires, Andando por Buenos Aires

Compre um chip de celular para economizar

Eu não viajo sem telefone celular com internet, especialmente porque preciso atualizar o blog, pesquisar coisas e falar com a família via WhatsApp. Por isso, assim que cheguei em Buenos Aires tirei meu chip da TIM, que cobra R$ 30 por dia de uso no exterior, e comprei um da operadora Personal. Há outras operadoras como a MovieStar e a Claro por lá. O chip que comprei na Calle Florida custou 45 pesos (R$ 9) e recarreguei com 50 pesos.

A promoção tinha WhatsApp liberado e 50MB para navegar por dia, mas se eu quisesse com 7,20 pesos comprava mais 50MB. Por dia usei uns 100MB e desligava a internet quando estava andando para economizar e no hostel tinha Wifi liberado. Eu podia fazer ligações na Argentina também, o que poderia ser útil para chamar um táxi ou reservar um restaurante, por exemplo.

San Telmo feira, dicas

Fazer compras em Buenos Aires está infinitamente mais caro, mas a viagem em si é bem barata. A passagem aérea custa cerca de mil reais. O mês mais barato para visitar a cidade é março, quando é possível encontrar voos por R$ 900 e poucos reais ou, ainda, quando há promoções da empresas aéreas. O bom é que alimentação e transporte são baratos, assim como as atrações turísticas.

Para se ter uma ideia dos preços: um lanche no McDonalds custa, em média, 120 pesos (R$ 25), uma cerveja 50 pesos (R$ 10), um drink mais elaborado 70 pesos (R$ 14), uma garrafinha de água 25 pesos (R$ 5) e uma bola de sorvete Freddo 50 pesos (R$ 10). Uma refeição para uma pessoa num restaurante bom pode sair de 240 (R$ 50) a 400 pesos (R$ 84), dependendo da área da cidade.

Fiquei seis dias na cidade, mas na prática foram cinco porque cheguei muito tarde no primeiro dia. Meu roteiro teve um ritmo que serve também para quem não conhece a cidade. Com mais um dia livre eu visitaria a cidade de Tigre onde é possível fazer um passeio de barco ou Colônia de Sacramento, no Uruguai.

Dia 1

Chegada a Buenos Aires.

Dia 2

Visita ao centro histórico com tour pela Casa Rosada (saiba mais aqui). Almocei em Puerto Madero e à noite fui a um show de Tango no Madero Tango.

 

Dia 3

Comecei o dia visitando San Telmo. Como era domingo foi possível passear pela feirinha e, finalmente, tirar uma foto com a estátua da Mafalda. Fizemos uma pausa no tradicional Café Tortoni e seguimos para a Pizzaria Güerrin, uma das mais tradicionais da cidade. Depois, fui até o Abasto Shopping, um dos maiores de Buenos Aires que tem um parque de diversões dentro dele – uma opção de passeio incrível para quem viaja com crianças.

 

 

Dia 4

O dia começou com uma visita guiada ao Teatro Cólon, a principal casa de Ópera de Buenos Aires. Esse é um dos maiores teatros do hemisfério sul, e tem uma das melhores acústicas do mundo, além de ser lindo. Aproveitei e tirei fotos no Obelisco que fica em frente ao teatro.

Depois, segui para a Recoleta onde visitei a Floralis Genérica, a imensa escultura metálica. E de lá segui para o Museu de Arte Latino-Americano, o Malba, e para o Jardim Japonês (saiba como visitar aqui), ambos em Palermo.

 

Dia 5

O último dia foi dedicado a conhecer mais sobre La Boca, um dos bairros mais pobres de toda a Argentina. Caminhamos bastante, vimos as tradicionais casas coloridas, almoçamos um bom bife de chorizo e visitamos La Bombonera (saiba como visitar o estádio aqui), o estádio do Boca Juniors.

Dia 6

O último dia foi dedicado ao microcentro de Buenos Aires. Voltei ao Café Tortoni para outro café com medialunas (uma espécie de croissant doce) e fui até a Galerias Pacífico na Calle Florida.

Leia também

Dez razões para visitar (e amar) Buenos Aires

Dicas para quem vai viajar para Nova York pela primeira vez 

Dicas de viagem pelos países da América do Sul

39 comentários sobre “Buenos Aires: dicas de viagem e roteiro para cinco dias na cidade

  1. Mafalda <33 Tenho muita vontade de conhecer! Ainda mais que daqui do Brasil dá pra conseguir umas promoções muito boas de cerca de R$400 ida e volta. Amei o roteiro!

  2. Muito bom o post! Obrigado pelas dicas!
    Estivemos em Buenos Aires já 3x, mas em nenhuma das vezes conhecemos a cidade direito. A primeira foi em uma parada de 1 dia em um cruzeiro… porém estava tendo manifestação na cidade e ela estava uma bagunça, haha! Imagina só.
    As outras duas foram escalas.
    Ou seja, temos que guardar um tempo para visitá-la decentemente.

  3. Minha primeira e única ida a Buenos Aires foi em 2007! Tô doida pra voltar, principalmente pq qdo fui, n deu tempo de fazer todos os passeios que eu gostaria!!! Puerto Madero foi o que eu mais gostei!

  4. Diana, amei o seu post. E quando fui a Buenos Aires foi um pouco corrido, por isso, também pretendo voltar só para andar com mais calma. Sem programa turistão, sabe o que estou querendo dizer..rs

  5. Acredita que fui a Bariloche e nao fui a B.A? Pois é, preciso conhecer essa cidade. Seu post ta super completo; dicas de transfers, preços e etc. Muito obrigado por compartilhas tantas dicas maneiras. Abraço

  6. Diana! Que post legal! Guardar nos favoritos. Ainda não conheço Buenos e quero mesmo ir com a família. Levar minha avó para conhecer. O meu primeiro destino internacional foi o Chile então escalou rápido e não paramos ainda pra visitar os Hermanos.

  7. Eu fiquei no Milhouse também!! Realmente é festa que não acaba mais… Kkkkkk

    Buenos Aires é uma delicia para visitar, mas fiquei meio traumatizada depois que fui furtada da última vez.. 🙁

  8. Tao perto, mas ao mesmo tempo tao longe! Por essa proximidade, acabamos deixando outros lugares passar na frente da nossa lista… mas devemos conhecer em breve! Otimo post com otimas dicas!

  9. Já fui algumas vezes e sempre quero voltar. Acho que já está na hora de dançar um tango. rsrs Ainda não conheço Bariloche, que sabe faço as duas cidades na próxima vez, né? Adorei o post.

  10. Estive em Buenos Aires e o máximo que consegui conhecer foi o Obelisco e a Casa rosada, não sabia onde era essas casas coloridas e os taxistas queria um absurdo para ir até la, pretendo voltar lá para fazer um tour assim mais completo, excelentes dicas

  11. Diana, adorei as dicas e relembrar, essa cidade muy rica, muy hermosa, já fui duas vezes e ainda não fui a San telmo, acho que vou puxar uma terceira, adoro os espetáculos de Tango e tudo mais super vale a pena!!

  12. Adorei o roteiro!! Com certeza, quando eu for pra lá vou seguir todas suas dicas, alias…adorei a dica do chip!
    E o famoso tango no roteiro é lei ne?

Deixe uma resposta