Como usar o Uber no Exterior

Como usar o Uber fora do Brasil

Já tomei muita volta de taxista em viagem e, quanto mais viajo, mais esperta para fugir de ciladas. Mas, confesso, guardo um rancor do que me cobrou uma fortuna para ir de volta ao meu hotel em Budapeste; do que me deu volta ao ir para num restaurante em Buenos Aires ou do que queria me cobrar 50 dólares para devolver meu celular que caiu no carro dele, em Nova York.

Ok, tragédia e tragédias. Mas a questão é que eu sempre preferi táxis de cooperativas da cidade – e prefiro até hoje quando desembarco no Galeão, no Rio. Mas não é em toda cidade que tenho o telefone de uma cooperativa de confiança em mãos, e nunca pego táxis de cooperativas de aeroporto por sempre cobrarem uma pequena fortuna, seja qual for o destino.

Por isso, para evitar problemas tenho optado por andar de Uber, Cabify, Lifty  ou outros aplicativos assim quando viajo. A regra é clara: sei quanto vai dar, o caminho que vamos fazer, se eu esquecer algo terei como recuperar mais facilmente e vou avaliar o motorista no fim da corrida.

Tenho minhas reservas quanto ao canibalismo da Uber com os serviços de táxi pelo mundo, mas a verdade é que esse tipo de serviço mudou a forma como a gente se relaciona com os motoristas, além de ser bem mais barato. E, fora do Brasil, é como aqui: há bons e maus profissionais trabalhando. Em Las Vegas, na minha última viagem, peguei tudo quanto foi tipo de motorista do Uber.

Motoristas muito legais e motoristas machistas que fizeram comentários em Inglês achando que, por estarmos tagarelando em Português, não iríamos entender. Esses aí levaram logo uma avaliação ruim e um fora para aprenderem a se comportar #soudessas. Mas todo cuidado é pouco quando se está sozinha, ok? Só pegue motoristas com nota alta no aplicativo para evitar problemas. Nota abaixo de 4,8 pra mim já é cilada!

Em Santiago, no Chile,em junho de 2016, também optei pelo Uber. Por lá o serviço ainda é ilegal e, por isso, alguns motoristas pediram para que eu andasse no banco da frente por medo da fiscalização. Em Buenos Aires, em dezembro de 2016, também andei de Uber sem problemas.

>> Na prática, usar o Uber no exterior funciona assim:

 

1) O aplicativo é o mesmo que você já usa no Brasil

2) Você precisa colocar um cartão de crédito internacional desbloqueado para transações no exterior como forma de pagamento

3) O pagamento será mostrado na moeda local e, se você pagar no cartão, o valor vai ser revertido em dólar + 6,38% do IOF. Em alguns lugares o Uber dará a opção de pagar a corrida em dinheiro, o que pode ser vantajoso para fugir do imposto, mas eu prefiro já pagar no cartão.

4) Lembre de só sair do carro após o motorista finalizar a corrida (isso eu sempre faço no Brasil também).

5) Se o seu celular estiver com outro chip que não o número cadastrado no Uber, não será possível ligar para o motorista sem alterar o número cadastrado. Por esse motivo, peça apenas quando já estiver pronto para embarcar.

Corrida de Uber em Nova York

6) Se for pegar o uber na rua, o ideal é pedir num local onde o motorista não vai ter como errar (porta de hotel, de restaurante etc). E, em vez de pedir numa esquina, peça numa loja numa rua no sentido que você vai seguir para já facilitar (e economizar).

7) Se não for fluente no idioma local, não esquente! Só fique de olho se o motorista não está dando voltas. Se ele der voltas reclame via avaliação do aplicativo (no idioma local) que eles recalculam a corrida.

8) Há vários tipos de Uber nos EUA e no Chile, por exemplo. Em Santiago tem o Uber que serve para levar equipamento de ski para o Valle Nevado ou bicicleta (Uber Bici). E tem o Uber XL para grupos de até seis pessoas, o Uber Kids com cadeirinha de bebê e o Uber WAV para cadeirantes.

9) Fique atento aos avisos do aplicativo, especialmente em aeroportos. Nessa mensagem abaixo, por exemplo, o Uber alertava que depois de 10h da noite os passageiros devem solicitar os carros no setor de embarque quando estiverem prontos por problemas com a fiscalização. 😉

Uber nos Estados Unidos

10) Tome todos os cuidados que você já toma no Brasil 😉

>> Como andar de Uber em Las Vegas

Em Las Vegas não é possível pegar uber ou táxi em qualquer lugar. Na Strip (a rua principal onde ficam os cassinos) ninguém para porque é proibido. Então, você precisa entrar num resort e achar onde tem a plaquinha de “Ride share” (como a da foto deste post) e olhar onde o aplicativo indica.

No Bally’s, por exemplo, era no ponto dos ônibus de turismo, enquanto no MGM e no Planet Hollywood era no estacionamento. No aeroporto e no shopping é a mesma coisa: o táxi para no ponto e o uber no local indicado por uma placa como “ride share”. Os carros têm um adesivo U no vidro, o que facilita a identificação, mas sempre olhe a placa antes de entrar e, como sempre, avalie o motorista. 



Booking.com

3 comentários sobre “Como usar o Uber fora do Brasil

Deixe uma resposta